quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Gigantismo

Sofro de Gigantismo Agudo


Me acho espremido no mundo


E me sufoco num desejo irremediável


De me manter pequeno, mas, nunca cabível.










Ilustração: Dalila Mendonça

2 comentários:

  1. Adoro!!!! escreva mais e sempre.

    ResponderExcluir
  2. Meu querido, que bom estar um pouco perto da tua alma, aqui de mãos dadas com as tuas palavras. Me lembrei um pouco de Clarice quando ela diz "Caibo para transbordar". Acho mesmo que somos feito dessa carne-luz-asa, massa distensível, condenada a ser, a um só tempo, eternamente pequena, eternamente grande. Um beijo amoroso nas tuas asas pequeno-infinitas. Kely

    ResponderExcluir