quinta-feira, 20 de novembro de 2014

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Jock Dean

Ele veio deitado na eletricidade
Colocando músicas em meus ouvidos
Alegrando mares, movendo montanhas. 
Tornando o amor o caminho mais curto entre dois pontos.

domingo, 2 de março de 2014

O Amigo

Aguda a faca que em minhas costas se abriga
Faz ali seu frio ninho
Onde nascerá da dor a ferida
Beberá minhas esperanças e meu viço
Sorverá na terra toda vida do meu corpo
E quando finalmente eu estiver exangue
Sem o suco sanguíneo que me nutre
Haverá então de se retirar das minhas costas
Deixando apenas para mim esta ferida exposta.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Estilhaço

Que fragmento é este que sou?
Faltoso de mim
Duvidoso em todos meus passos

Sombra sem corpo
Sobra sem troco
Apenas metade do pedaço

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Comunhão

Ah, se na terra me deitasse
E de repente eu morresse
E se ali brotasse
E se ali nascesse
A flor que me enfeitasse.

Nada mais eu quereria
Nada mais me faltaria
Das noites, os mais belos luares
De dia, as cotovias.

E o perfume da Terra
E tudo que é vivo e primitivo
Me aceitaria em teu seio
E eu por fim estaria vivo
Na eternidade de tuas raízes.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Meditação Contemplada

Homem selvagem
Me leva nos teus caminhos
A mata é viva
E nossa vida nela cresce

O Sol, pai enérgico
Aquece a pedra em que deitas
E a água amolece
Meu coração

Choro feliz, extasiado
Deito de longe
Ao teu lado

Eu queria aquele abraço

No fim dos meus passos
O teu nome me esperava
Sem ciências exatas
Apenas o mais abstrato risco.

Como um cisco em meus olhos
Você conseguiu minha atenção
Deixando de lado o que eu
Te entregava nas mãos.

Em tuas costas nuas  desenhado
Em pintas negras o cruzeiro
Meus olhos no teu corpo inteiro
E na despedida meu desespero.

Ensolarado os teus cabelos
Me aqueciam o desejo de tocá-los
Não tive a chance de dizer
Mas, eu queria aquele abraço.